Sociedade é convocada para a limpeza do planeta

Avaliação do Usuário: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Mobilizar pessoas e conscientizar sobre a importância de um planeta limpo. O Dia Mundial da Limpeza, celebrado neste ano em 17 de setembro, surge como uma proposta para transformar, por meio da informação e de ações concretas, o comportamento das pessoas em relação à questão da limpeza.

Diariamente, tem-se notícias de ruas, bairros, praças, parques, rios, oceanos, enfim, diferentes lugares servindo de lixeira para o descarte irregular de resíduos sólidos.

Relatório divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), em 2021, adverte que a poluição plástica é uma ameaça crescente em todos os ecossistemas, representando 85% dos resíduos que chegam aos oceanos.

Dados obtidos pela análise “Da poluição à solução: uma análise global sobre lixo marinho e poluição plástica”, da PNUMA, mostram que, até 2040, os volumes de plástico que fluem para o mar devem triplicar, com uma quantidade anual entre 23 e 37 milhões de toneladas, o que significa quase 50 kg de plástico por metro de costa em todo o mundo.

E esse é apenas um dos componentes que degradam o ambiente. A mudança desse cenário passa, necessariamente, pela conscientização da sociedade sobre como cada um pode fazer a sua parte.

“Precisamos de ações para educar e conscientizar e a experiência que esse dia proporciona ajuda a transformar o comportamento das pessoas”, afirma David James Drake, presidente do Conselho Curador da Fundação UniAbralimp, centro de excelência em conhecimento e formação em limpeza profissional.

Responsabilidade de cada um

O Dia Mundial da Limpeza (ou World Cleanup Day) é uma ação que corre o mundo envolvendo voluntários de diferentes instituições e organizações para mostrar a necessidade de informar a população sobre o problema do descarte irresponsável de resíduos.

De acordo com Drake, a data tem por base o grassroots movement, ou seja, as ações de baixo para cima, em que pessoas, grupos e movimentos se unem para engajar e promover medidas sem esperar a ação do governo para uma determinada causa.

O movimento grassroots busca decisões bottom-up (de baixo para cima) ao invés de top-down (de cima para baixo).

“Não podemos depender dos governos para todas as ações. Lá na parte de baixo da pirâmide, comunidades, empresas, famílias, grupos de amigos, todos precisam se mobilizar para ações que possam encontrar soluções para determinados problemas”, pontua Drake.

De acordo com Cristiane Oliveira, superintendente da Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac), existe o debate sobre o tema, mas ainda é insuficiente para gerar uma verdadeira mudança na forma como as pessoas lidam com os resíduos.

“A data é muito importante para conscientizar. A participação em uma ação de limpeza é a melhor lição que podemos dar, pelo exemplo, de que a responsabilidade de cuidar do lugar em que vivemos é de todos nós, seja a nossa rua ou o nosso planeta”, enfatiza Cristiane.

Ela lembra que a destinação inadequada de resíduos sólidos além de causar a degradação ambiental acarreta uma série de outros problemas relacionados à saúde pública e alerta que a solução não virá do dia para a noite. “O assunto deve entrar em pauta, ser discutido, ganhar visibilidade, para mudarmos de maneira gradual a nossa cultura em relação ao descarte consciente.”

Educar e engajar

Para além da conscientização sobre o descarte, Cristiane considera que a data também é relevante para pensar na valorização do trabalho dos profissionais da limpeza, na cidadania e dignidade.

Ter profissionais conscientes e engajados com a atividade da limpeza é importante para ampliar a informação e difundir a importância da limpeza e conservação para a preservação do meio ambiente.

Drake ressalta que o papel educativo e social da Fundação UniAbralimp pode contribuir para a questão e, ampliando seu compromisso social, acaba de lançar um programa de bolsas de estudo para atender quem busca o aperfeiçoamento, mas não consegue custear os estudos.

“A Fundação abre um programa mensal de bolsas, com fundos originários de investimentos com origem em recursos de doações e ações coordenadas para fomentar a educação. É um começo para buscar contribuir com a formação de pessoas”, anuncia Drake.

Ciente da importância da sustentabilidade para o mercado de limpeza profissional, Drake informa que a Fundação tem ampliado a oferta de cursos nessa área como forma de buscar transformar e propor soluções aos desafios que a sociedade enfrenta.

Segundo Drake, o Dia Mundial da Limpeza, em sua 5ª edição, é fundamental para criar um alerta. “Isso é importante, pois estamos cada vez mais perto do ponto crítico.”

Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp) entende a importância deste dia para estimular a busca por soluções e respostas para transformar a realidade, e luta para que a limpeza ganhe seu espaço e dimensão na sociedade.

Fonte: Abralimp


Todos os direitos reservados a FEBRAC